Sarampo é coisa de criança?

sarampo

sarampoNão, o sarampo não é coisa de criança! Essa doença, que foi erradicada no Brasil em meados da década de 90, está voltando e já tem mais de 1200 casos registrados no país apenas em 2018, sendo 910 no estado do Amazonas.

E o problema não é apenas nessa região. O surto forte de sarampo está assustando a Europa com mais de 41.000 pessoas infectadas nos primeiros seis meses de 2018 e 37 mortes, que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, atingiu níveis recordes nessa região.

Essa doença pode parecer simples, já que os sintomas duram de 7 a 10 dias, mas os adultos correm maior risco de complicações do sarampo do que crianças. Por isso, eles também são mais propensos a estar entre as 164 mil pessoas que morrem da doença em todo o mundo a cada ano.

O Ministério da Saúde está fazendo uma Campanha de Vacinação da Poliomelite e Sarampo até o dia 31 de agosto, onde todas as crianças com um a cinco anos precisam ser vacinadas.

Entretanto, pessoas de todas as idades podem ser vacinadas, já que o Ministério da Saúde disponibiliza a vacinação gratuita até os 49 anos, mas o governo recomenda, no entanto, que os adultos só vão até as unidades de saúde após o fim da campanha que é direcionada às crianças, para garantir uma dose e não sobrecarregar os postos.

 

O que é sarampo?

O sarampo é uma doença viral que pode se espalhar rapidamente e está presente em todo o mundo.

É uma condição desagradável, mas que normalmente passa sem nenhum tratamento específico dentro de 7 a 10 dias.

Depois de um ataque de sarampo, uma pessoa ganha imunidade pelo resto da vida. É pouco provável que contraiam o sarampo uma segunda vez.

 

Sintomas

Os sintomas do sarampo sempre incluem febre e pelo menos um dos três sintomas:

  1. tosse
  2. coriza, ou coriza
  3. conjuntivite

Os sintomas aparecerão cerca de 9 a 11 dias após a infecção inicial, que podem incluir:

  1. coriza
  2. tosse seca
  3. conjuntivite, ou pálpebras inchadas e olhos inflamados
  4. olhos marejados
  5. fotofobia ou sensibilidade à luz
  6. espirros
  7. erupção cutânea marrom-avermelhada
  8. Manchas de Koplik, ou pequenas manchas branco-acinzentadas com centros brancos-azulados na boca, interior das bochechas e garganta
  9. dores generalizadas no corpo

sarampoMuitas vezes há febre. Isso pode variar de leve grave até 40ºC. Pode durar vários dias, e podendo variar caindo e depois subindo novamente quando a erupção aparecer.

A erupção marrom-avermelhada aparece em torno de 3 a 4 dias após os sintomas iniciais e pode durar mais de uma semana. Essas marcas geralmente começam atrás das orelhas e se espalham sobre a cabeça e o pescoço. Depois de alguns dias, ele se espalha para o resto do corpo, incluindo as pernas. Conforme as manchas crescem, elas geralmente se juntam.

 

Complicações do sarampo

De acordo com o Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, cerca de trinta por cento das pessoas com sarampo desenvolvem uma ou mais complicações da doença, que incluem pneumonia, infecções de ouvido, diarreia, convulsões, inflamação do fígado (hepatite), inflamação cerebral (encefalite), infecção do nervo óptico – que pode levar à cegueira (neurite) e complicações cardíacas.

Qualquer um que esteja em risco de contrair sarampo, particularmente aqueles que viajarão para regiões que o foco da doença está grande, deve ter certeza de que estão imunes à mesma, seja essa imunidade resultante de ter a doença anteriormente ou de vacinação.

Adultos que não estão cientes do seu estado de imunidade podem descobrir através de um exame de sangue que detecta anticorpos para sarampo e rubéola, indicando imunidade. Se os testes de imunidade mostrarem que você não está imune, a vacinação é a melhor linha de proteção.

 

Prevenção

sarampoExiste uma vacina para proteger contra o sarampo. A vacina é administrada como parte de uma vacina combinada, chamada de VASPR – a vacina tríplice viral ou vacina antissarampo, parotidite (caxumba) e rubéola – que protege contra essas doenças.

A vacina tríplice viral é muito segura e altamente eficaz com poucos efeitos colaterais. Reações leves, como febre, vermelhidão ou inchaço no local da injeção, foram relatadas. As mulheres adultas podem, com pouca freqüência, apresentar sintomas articulares como dor e rigidez da parte da vacina contra rubéola.

Tal como acontece com qualquer medicamento, existem riscos muito pequenos que podem ocorrer após a obtenção da vacina. No entanto, os riscos potenciais associados ao sarampo, caxumba e rubéola são muito maiores do que os riscos potenciais associados à vacina. Entretanto, a vacina tríplice viral não deve ser administrada a pessoas grávidas ou gravemente imunossuprimidas.

Essa vacina, é a mesma citada acima que o Ministério da Saúde disponibiliza para pessoas até 49 anos. Caso você tenha uma criança e quer saber como a doença pode atacar o seu filho, clique aqui.

Você também pode gostar de:

álcool
paz interior