Prevenção de suicídio: você também pode ajudar!

suicídioA partir do mês de julho, as ligações para o 188, que é o telefone do Centro de Valorização da Vida (CVV) de prevenção de suicídio, começam a ser gratuitas em todos os estados e no Distrito Federal, em convênio com o Ministério da Saúde.

Através desse número, as pessoas recebem apoio em momentos de crise e ajuda para prevenção ao suicídio, já que, no Brasil, cerca de 11 mil pessoas cometem suicídio todos os anos.

De acordo com o primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio, divulgado pelo Ministério da Saúde em 2017, entre 2011 e 2016, mais de 60 mil pessoas cometeram suicídio no país, sendo 79% delas homens e 21% mulheres.

Para atingir meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de reduzir em 10% os óbitos por suicídio até 2020, o Ministério da Saúde lançou uma agenda estratégica que inclui ampliação da assistência e ferramentas de comunicação.

Os seis estados com maiores taxas de suicídio no país são Amazonas, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio Grande do Sul, Roraima e Santa Catarina, que receberam um incremento de R$ 2 milhões para melhorar a assistência e, em parceria com as secretarias de saúde estaduais dessas localidades, planos locais de prevenção ao suicídio.

 

 

Como você pode ajudar?

Se você ou alguém que você conhece mostrar vários dos sinais de alerta de suicídio listados abaixo, é necessária uma ação imediata.

Sinais de alerta de suicídio:

  • Ficar deprimido ou triste a maior parte do tempo;
  • Conversar ou escrever sobre morte ou suicídio;
  • Evitar passar tempo com a família e amigos;
  • Sentindo-se sem esperança;
  • Sentindo-se desamparado;
  • Sentindo raiva forte;
  • Sentindo-se preso – como se não houvesse saída para uma situação;
  • Experimentando mudanças dramáticas de humor;
  • Abusando drogas ou álcool;
  • Mostrar uma mudança na personalidade;
  • Atuando impulsivamente;
  • Perder interesse na maioria das atividades;
  • Vivenciar uma mudança nos hábitos de sono e alimentares;
  • Perder interesse na maioria das atividades;
  • Desempenhar-se mal no trabalho ou na escola;
  • Sentir culpa ou vergonha excessiva;
  • Agir de forma imprudente.

 

Deve-se notar que algumas pessoas que cometem suicídio não apresentam sinais de alerta de suicídio, mas cerca de 75% daqueles que cometem suicídio exibem alguns sinais de alerta.

suicídioPor isso, precisamos estar cientes do que são os sinais de alerta e tentar identificá-los nas pessoas. Ao notar alguém exibindo sinais, precisamos fazer tudo o que pudermos para ajudá-lo.

Mais de 90% das pessoas que morrem por suicídio têm uma doença mental no momento de sua morte e a doença mental mais comum é a depressão.

A depressão não tratada é a causa número um para o suicídio.

Muitas pessoas cometem suicídio porque a depressão é desencadeada por várias experiências negativas, e a pessoa não recebe tratamento – ou não recebe tratamento eficaz – para a depressão.

Algumas das experiências negativas que podem causar depressão incluem:

  • A morte de um ente querido;
  • Um divórcio ou separação de um relacionamento;
  • Perder a custódia dos filhos;
  • Uma perda séria, como perda de emprego, casa ou dinheiro;
  • Uma doença grave ou terminal;
  • Um acidente sério;
  • Dor física crônica;
  • Dor emocional intensa;
  • Perda de esperança;
  • Ser vitimado (violência doméstica, estupro, agressão, etc);
  • Um ente querido sendo vitimado (assassinato, sequestro, estupro, agressão, etc.).
  • Abuso físico, verbal ou sexual;
  • Abuso não resolvido do passado;
  • Sentir-se “preso” em uma situação negativa;
  • Sentindo que as coisas nunca vão “melhorar”;
  • Problemas legais sérios, como processo criminal ou encarceramento;
  • Incapacidade de lidar com uma situação “humilhante”;
  • Abuso de álcool e drogas;
  • Um sentimento de não ser aceito pela família, amigos ou sociedade;
  • Uma decepção horrível;
  • Assédio moral (adultos, assim como crianças, podem ser intimidados);
  • Baixa autoestima.

 

Novamente, as causas acima podem desencadear depressão, e a depressão não tratada é a causa número um para o suicídio.
Embora seja importante falar sobre essas questões, se você ou alguém que você conhece estiver em risco, é essencial obter ajuda de um adulto confiável ou de um recurso profissional.

Se você identificar os sinais de alerta de suicídio em alguém de quem gosta, talvez você fique em dúvida se é uma boa ideia dizer alguma coisa. E se você estiver errado? E se a pessoa ficar com raiva?

Em tais situações, é natural sentir-se desconfortável ou com medo, mas qualquer um que fale sobre suicídio ou mostre outros sinais de alerta precisa de ajuda imediata – quanto mais cedo melhor.

Conversar com um amigo ou membro da família sobre seus pensamentos e sentimentos suicidas pode ser extremamente difícil para qualquer um, porém se você não tem certeza se alguém é suicida, a melhor maneira de descobrir é perguntar.

De fato, dar a uma pessoa suicida a oportunidade de expressar seus sentimentos pode proporcionar alívio da solidão e de sentimentos negativos reprimidos, e pode impedir uma tentativa de suicídio.

Você também pode gostar de: