Gordura trans: o mal que precisa sair da sua dieta

gordura transA Organização Mundial de Saúde divulgou na segunda-feira, 14 de maio, um guia de que pretende ajudar a eliminar a gordura trans artificial da oferta global de alimentos e uma estratégia passo-a-passo sobre como fazê-lo até 2023.

Chamada REPLACE, a iniciativa fornecerá orientações para todos os países sobre como remover gorduras trans artificiais de seus alimentos, possivelmente levando a uma erradicação mundial.

A REPLACE fornece seis ações estratégicas para assegurar a eliminação rápida e completa das gorduras trans produzidas industrialmente a partir do suprimento de alimentos:

  1. Reavaliar as fontes alimentares de gorduras trans produzidas industrialmente e o panorama necessário para desenvolver a mudança.
  2. Promover a substituição de gorduras trans produzidas industrialmente por gorduras e óleos mais saudáveis.
  3. Legislar ou promulgar ações regulatórias para eliminar essas gorduras produzidas industrialmente.
  4. Avaliar e monitorar o teor de gorduras trans nos alimentos e mudanças no consumo de gordura trans na população.
  5. Criar conscientização sobre o impacto negativo na saúde das gorduras entre formadores de opiniões, produtores, fornecedores e o público.
  6. Reforçar o uso das políticas de uso e regulamentos.

A eliminação das gorduras trans é fundamental para proteger a saúde e salvar vidas: a OMS estima que, a cada ano, a ingestão de gordura leva a mais de 500 mil mortes de pessoas com doenças cardiovasculares.

 

O que é gordura trans?

Existem dois tipos gerais de gorduras trans encontradas nos alimentos: as naturais e as artificiais.gordura trans

Ocorrem gorduras trans naturais no intestino de alguns animais e os alimentos feitos a partir destes animais (por exemplo, leite e produtos de carne) podem conter pequenas quantidades destas gorduras.

As gorduras artificiais (ou ácidos graxos trans) são criadas em um processo industrial que adiciona hidrogênio a óleos vegetais líquidos para torná-los mais sólidos.

As gorduras trans são fáceis de usar, baratas de produzir, duram muito tempo e dão aos alimentos um sabor e uma textura desejáveis.

Muitos restaurantes e fast-food usam essa gordura para fritar alimentos porque óleos com gorduras trans podem ser usados ​​muitas vezes em fritadeiras comerciais.

Vários países (por exemplo, Dinamarca, Suíça e Canadá) e jurisdições (Califórnia, Nova York, Baltimore e Condado de Montgomery) reduziram ou restringiram o uso de gorduras trans em estabelecimentos de serviços de alimentação.

 

Os riscos da gordura trans

Como as gorduras saturadas ou animais, as gorduras trans contribuem para as artérias entupidas, que são um sinal de doença cardíaca, aumentam o risco de ataques cardíacos e derrames.

Alguns pesquisadores suspeitam que as gorduras também aumentam os níveis sanguíneos de outros dois compostos que entopem as artérias – uma partícula de proteína de gordura chamada lipoproteína e gorduras do sangue chamadas triglicérides.

Igualmente preocupante, estudos populacionais indicam que as gorduras podem aumentar o risco de diabetes tipo 2.

 

Os piores alimentos

Desde 2006, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) obriga todos os fabricantes a indicar no rótulo a quantidade de gordura trans presente nos alimentos. Por outro lado, o Ministério da Saúde também tenta acabar com a utilização dessa gordura, seguindo o exemplo de países como Suíça e a Dinamarca, onde ela é proibida.

Alimentos manufaturados chamados de “junk foods” são os alimentos com maior probabilidade de conter altos níveis de gorduras trans. Portanto, coma menos destes (listados abaixo) e você reduzirá automaticamente sua ingestão:

Bolos, tortas e biscoitos (especialmente com glacê)

A maioria das misturas de bolo e biscoito lista 0 gramas de gordura trans no rótulo. Mas há um problema. Os fabricantes podem listar 0 gramas se o teor de gordura trans for inferior a 0,5 gramas. Essas pequenas quantidades se somam quando você come várias porções de doces.

gordura transMargarina

A maioria dos fabricantes de margarina removeu gordura trans de seus ingredientes, mas você ainda precisa checar novamente. Os poucos que ainda contêm gordura trans têm níveis tão altos quanto 3 gramas por porção.

Bolachas

Muitas bolachas crackers também se beneficiam da lacuna de rotulagem. Você pode ver um “0” no rótulo e achar que está seguro, mas não se engane. Verifique os ingredientes. Aqui está uma dica: se um alimento pode durar em sua despensa por semanas sem envelhecer, a gordura trans pode mantê-lo fresco.

Pipoca de Micro-ondas

Da próxima vez que você assistir a um filme, escolha seu lanche com cuidado. Pipoca de micro-ondas é uma fonte de cereais integrais e antioxidantes, mas muitas variedades com manteiga e aromatizadas têm teor de gordura trans tão alto quanto 5 gramas por porção. Verifique os rótulos com cuidado e opte por pipocas que não contenham gordura trans.

Doces recheados com creme

Doces com recheios cremosos normalmente contêm 0,5 gramas de gordura trans por porção. Mas é muito fácil comer mais de uma porção. Antes que você perceba, você ingeriu muito açúcar e uma quantidade alarmante de gordura trans, sem qualquer benefício nutricional.

Donuts

Muitos estabelecimentos retiraram gordura trans de seus ingredientes, mas sejam cautelosos. Mesmo aqueles que fazem a reivindicação “0 grama” podem conter uma pequena quantidade. Esse risco aumenta se você escolher donuts fritos ou recheados com creme. E não se esqueça: donuts oferecem uma bomba de açúcar com pouca proteína ou fibra.

Fast food frito

Gordura trans pode se esconder em suas batatas fritas e sanduíches. Felizmente, a maioria das empresas de fast food e restaurantes exibem informações sobre nutrição e ingredientes em seus sites ou no restaurante. Pesquise-os antes de pedir ou pergunte ao seu servidor se eles usam óleos parcialmente hidrogenados. Seja cauteloso com produtos fritos em feiras e festas também.

Pizza congelada

As pizzas congeladas são outro exemplo onde a conveniência não vale o dano, com cerca de 1 grama por fatia ou porção. As pizzas congeladas dependem da gordura trans para dar à crosta uma textura escamosa. Pense assim: se a massa refrigerada ou congelada produz uma textura que parece boa demais para ser verdade, provavelmente é.

 

Como mudar sua dieta?

A American Heart Association recomenda que os adultos que querem reduzir o nível de colesterol limitem seu consumo de gordura saturada a 5 ou 6% do total de calorias.

Aqui estão algumas maneiras de conseguir isso:

 

  • Coma um padrão alimentar que enfatize frutas, legumes, cereais integrais, produtos lácteos com baixo teor de gordura, aves, peixes e nozes. Limite também a carne vermelha e alimentos e bebidas açucarados.
  • Use óleos vegetais não hidrogenados como canola, cártamo, girassol ou azeite.
  • Procure alimentos processados ​​feitos com óleo não hidrogenado e evite os que contém óleos vegetais hidrogenados, parcialmente hidrogenados ou gordura saturada.
  • Limite comercialmente alimentos fritos e assados ​​feitos com óleos vegetais encurtados ou parcialmente hidrogenados. Esses alimentos não apenas são muito ricos em gordura, mas também é provável que essa gordura seja transgênica.

Você também pode gostar de:

açúcar