Como criar um programa alimentar perfeito?

Além de ser criteriosa com os alimentos ingeridos, uma pessoa que pretende levar um estilo de vida saudável deve estar atenta a outro detalhe. Algum palpite sobre que detalhe é esse?

Estamos falando da regularidade das refeições! Só quem passa por essa experiência pode atestar o grande benefício de comer em horários regulares e intervalados. Um programa alimentar deve ser elaborado pensando nisso.

A pergunta que fica é: como estipular esses horários e adaptá-los as nossas rotinas sempre tão corridas? O livro O Segredo da Saúde (pag. 25) nos ajuda a resolver esse problema.

Três refeições ao dia é o princípio estabelecido pela capacidade natural dos órgãos digestivos, que levam de cinco a seis horas no trabalho de transformação dos alimentos. Nada deve perturbar essa tarefa.

Ou seja, descarte aqueles lanchinhos entre as refeições. Deixe o biscoito ou aquele pedaço de bolo para outra hora, ok?

Afinal, quando desrespeitamos o ritmo do nosso organismo, prejudicamos nosso sistema nervoso. Isso porque nenhuma partícula de alimento será modificada se o cérebro não enviar uma ordem.

Imagine então se várias partículas entrarem em nosso corpo nos mais variados momentos. Que confusão para nosso cérebro! Portanto, nos intervalos entre as refeições, beba somente água pura.

Para facilitar as nossas vidas, o livro O Segredo da Saúde (pag. 25) sugere um programa alimenta que se compromete com a regularidade. Veja:

Desjejum de rei

A primeira refeição deve ser a mais substancial e completa. Para isso, precisa conter representantes das três espécies de alimentos:

Sais e vitaminas, reguladores: frutas (banana, mamão, goiaba, etc.).

Proteínas, construtores: castanhas em geral.

Açúcares, energéticos: cereais (arroz, trigo, aveia, fubá, etc.), raízes (batata-doce, mandioca, cará, inhame, etc.).

  • Anote um exemplo de refeição completa para o café da manhã:

Reguladores: (frutas) mamão, banana

Construtores: (castanhas) leite de soja e patê de castanha-de-caju

Energéticos: (cereais) pão integral e bolacha de aveia

Almoço de príncipe

De modo geral, a segunda refeição deve ser completa. O exemplo a seguir é o mais comum para atender às necessidades da segunda refeição:

Salada (alface, pepino e cenoura)

Arroz integral

Feijão

Berinjela com molho de carne vegetal

Creme de espinafre

Jantar de “mendigo”

A terceira refeição deve ser a mais leve de todas. O corpo já está cansado do trabalho do dia. O sistema nervoso, tão solicitado pelos estímulos da vida moderna, pede repouso, assim como todos os demais sistemas e órgãos. Um jantar abundante força o relógio biológico a fazer adaptações.

O ideal para a terceira refeição é só frutas ou suco de frutas. No máximo, poderia ser acrescentado pão torrado ou equivalente.

E não se esqueça que um jantar leve traz inúmeros benefícios para nosso organismo. Permite a restauração do sistema nervoso, favorece o sono, evita a absorção de toxinas, contribui para a longevidade e poupa a tão solicitada energia vital.

 

 

Você também pode gostar de:

Verão, saúde
Janeiro Branco
mais